5 de Outubro 2022 00:26
Segue-nos

O que procura?

SportMagazineSportMagazine

Adaptado

Luís Costa e a medalha de bronze no Mundial: “Investi muito a nível físico e mental”Exclusivo 

Luís Costa, ciclista português. Foto: Championnats du Monde Route Paracyclisme UCI 2022

A viver o auge da carreira a beirar os 50 anos, Luís Costa voltou a viver dias de glória no Canadá. Após conquistar duas medalhas durante a Taça do Mundo, que teve lugar também na região do Quebec na semana passada, o corredor português regressou ao pódio esta semana, desta vez numa competição ainda mais forte: o Campeonato do Mundo de Paraciclismo em Baie-Comeau, no Canadá. Luís Costa alcançou a honrosa medalha de bronze na prova de contrarrelógio individual, na classe H5.

O corredor português completou os 18,9 quilómetros em 30m36s, ficando apenas atrás do neerlandês Mitch Valize, que venceu a prova, e do francês Loic Vergnaud. Em conversa com a SportMagazine, Luís Costa falou sobre a sequência de conquistas recentes e o pódio no Mundial.

“Claro que esta medalha no mundial é especial, sobretudo porque aconteceu cinco anos depois da única que tinha conquistado até então, no Mundial de 2017, na África do Sul, também no contrarrelógio. Depois de três pódios em Taças do Mundo este ano, estava confiante que teria condições para fazer o mesmo no Mundial. E assim foi”, afirmou.

Em maio, Luís Costa conseguiu a terceira posição no contrarrelógio da Taça do Mundo de Paraciclismo, disputado em Elzach, Alemanha. Na mesma altura, foi quinto no Campeonato da Europa de Paraciclismo, em Steegen, Áustria, na prova de fundo de classe H5 a ser o melhor registo nacional nesta jornada – e, na mesma competição foi 4.º no contrarrelógio.

A viver grande momento e com os Jogos Olímpicos de Paris 2024 no horizonte, Luís Costa avalia o momento atual como o mais especial na sua carreira.

“Esta época foi muito bem preparada, investi muito a nível físico e mental (e económico) e estou no meu melhor momento de sempre. Ainda falta a prova de fundo amanhã (este sábado) aqui neste Mundial, e uma vez mais vou lutar pelas medalhas. Esta época está a ser a minha melhor de sempre e não tenho qualquer problema em dizer que só um grande percalço me impedirá de estar presente nos Jogos Paralímpicos de Paris 2024”, afirmou, que, conforme disse, ainda pode voltar ao pódio em mais uma prova no Canadá na prova de fundo.

“Mas vou mais longe, ainda ambiciono participar nos Jogos de Los Angeles em 2028! Então já terei 55 anos, mas como podem ver a idade isso não me impede de estar entre os melhores do mundo. Haja patrocinadores que eu comprometo-me a dar o meu melhor, como sempre”, completou o ciclista português.

Luís Costa subiu ao pódio no Mundial. Foto: Championnats du Monde Route Paracyclisme UCI 2022

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos que poderá gostar

Ciclismo

Os ciclistas Ricardo Marinheiro (Clube BTT Matosinhos) e Raquel Queirós (MMR Factory Racing Team) sagraram-se, este domingo, campeões nacionais de Cross Country Olímpico (XCO)...

Ciclismo

O Campeonato do Mundo de Estrada decorre em Wollongong, na Austrália. Os cinco portugueses em prova – António Morgado, Daniel Lima, Gonçalo Tavares, José...

Ciclismo

A ilha de Santa Maria, nos Açores, recebe, este sábado, a quinta e última prova da Taça de Portugal de Enduro. A Taça de...

Ciclismo

Gonçalo Tavares e António Morgado representaram Portugal no contrarrelógio para juniores do Campeonato do Mundo de Estrada, em Wollongong, Austrália. Ambos os corredores terminaram...

©2022 - SportMagazine - Revista de Treino Desportivo.
Todos os direitos reservados. Quântica Editora - conteúdos especializados, Lda. Praça da Corujeira, 30 4300-144 Porto, Portugal.
Website desenvolvido por Renato Sousa.