7 de Dezembro 2022 12:25
Segue-nos

O que procura?

SportMagazineSportMagazine

Outras Modalidades

Vanessa Marina e a medalha de bronze no Europeu de Breaking: “O caminho não acaba aqui, muito pelo contrário”

Foto: Vanessa Marina/Instagram

A portuguesa Vanessa Marina conquistou a medalha de bronze, este domingo, no Campeonato da Europa de Breaking, que decorreu em Manchester, Inglaterra. Recorde-se que o breaking passa a ser uma das novas modalidades olímpicas para os Jogos Olímpicos de Paris 2024.

A atleta falou com a SportMagazine acerca da competição, da modalidade e dos seus objetivos futuros. A bgirl afirma nunca ter pensado numa medalha. No Mundial, Vanessa Marina atingiu o 18.º posto, e diz que “o nível é tão alto que só queria garantir o meu lugar no top-16 para o Europeu”.

“Felizmente tive um bom resultado nas qualificações o que facilitou o percurso ate ao top-8, penso que o facto de estar confortável com o resultado ajudou-me a ficar mais leve e a dançar melhor, sem pressão. Mas quando tive que disputar pelo terceiro lugar pensei, ‘não fizeste isto tudo, já para perder aqui’ então dei o último push. O que resultou na medalha”, disse.

No que toca à preparação para esta competição, a atleta diz ter sido “feita o ano todo. Foi um ajuntamento de treinos e outras competições que me ajudou a ficar preparada para esta competição. Não é uma ou duas semanas antes que se prepara. Aliás, até a semana antes desta competição decidi não treinar mais, mas sim treinar o psicológico, porque estou esgotada fisicamente”, contou.

O interesse pela modalidade, por parte da bgirl Vanessa Marina, começou em 2006 “quando os videoclips de Justin Timberlake, Destiny Child, saíram”. Após este interesse, a atleta, natural de Leiria, mudou-se para Lisboa para estudar na Escola Superior de Dança e, a partir daí, como a própria diz, “foi indo por aí, não larguei mais o Break, até que me mudei para Londres e dediquei-me muito mais”.

No que à modalidade de breaking diz respeito, Vanessa Marina afirma haver muitos mais eventos e trabalhos que antigamente. Contudo, afirma que ainda existe um estigma à volta da dança de rua, sendo “associado a algo delinquente e sem futuro o que não é verdade, porque o Break surgiu principalmente como caminho para evitar e tirar jovens da rua”, diz. O facto da modalidade ser olímpica relativamente à pouco tempo, reduziu esse estigma “porque como podemos ver não há nada de delinquente em ganhar uma medalha”.

“O facto de haver mais trabalhos sociais e importante dar a conhecer aos pais uma forma diference de dança e cativar a juventude acho que e o ponto chave em Portugal”, realçou.

Vanessa Marina indica como principal objetivo angariar pontos para ter lugar nos Jogos Olímpicos de Paris, em 2024, deixando ainda a mensagem de que o ano que vem “é o ano decisivo”.

 

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos que poderá gostar

Andebol

A quinta jornada da fase de grupos da EHF European League ficou concluída esta terça-feira, com uma vitória, um empate e uma derrota para...

Futebol

A Seleção Nacional de futebol masculino está nos quartos de final do Mundial 2022, que decorre em Doha, no Catar. No seu melhor jogo...

Natação

O Campeonato Nacional de Juniores e Seniores de Piscina Curta decorre de sexta-feira a domingo em Leiria, no Complexo de Piscinas Municipais. Nos dois...

Outras Modalidades

Santiago Batalha, jovem atleta de badminton, de apenas 16 anos, venceu, no último domingo, os XIV Portugal Junior International. O português superou o francês...

©2022 - SportMagazine - Revista de Treino Desportivo.
Todos os direitos reservados. Quântica Editora - conteúdos especializados, Lda. Praça da Corujeira, 30 4300-144 Porto, Portugal.
Website desenvolvido por Renato Sousa.