30 de Setembro 2022 08:22
Segue-nos

O que procura?

SportMagazineSportMagazine

Andebol

Ricardo Costa projeta evolução de Martim e Francisco: “Eu diria que estão a 50% daquilo que podem ser”Exclusivo 

Francisco e Martim Costa, atletas do Sporting e da Seleção Nacional Sub-20. Foto: Sporting Clube de Portugal

Dois dos principais jogadores da Seleção Nacional Sub-20, Martim Costa, 19 anos, e Francisco Costa, 17, têm feito a diferença para Portugal na competição no Euro-2020 da categoria. As três vitórias nos três jogos disputados tiveram a assinatura dos irmãos. No primeiro jogo, vitória com a Polónia (41-31), Martim foi o top scorer com 10 golos; no segundo, com a Noruega (26-35) foi a vez de Francisco, “Kiko”, ser o melhor marcador (9). No último, no domingo, com a Espanha (36-35), o irmão mais novo foi ainda melhor no triunfo garantido no último segundo: marcou 14 golos e foi também o MVP da partida.

Os dois atletas do Sporting são vistos como dos mais promissores do andebol português na atualidade. Têm o ADN vencedor. Afinal, como é público, ambos são filhos dos antigos internacionais, Ricardo Costa e Cândida Mota. O pai, inclusive, é o treinador dos dois nos Leões. Em entrevista à SportMagazine durante o 19.º Congresso Técnico Científico de Andebol, que decorreu no último fim de semana em Gondomar, Ricardo Costa destacou que os seus filhos, apesar do sucesso neste estágio inicial da carreira, ainda têm muito a evoluir.

“Eu diria que estão a 50% daquilo que podem ser. Em termos de experiência de jogo, em termos de valorizar os momentos de posse de bola, quando é que nos devemos expor, saber conhecer o seu corpo, o momento do jogo e dele próprio. E dentro daquilo que é o jogo e da parte técnico-tática, têm de crescer do ponto de vista defensivo, têm que ser jogadores mais completos. Eles têm-se evidenciado, provavelmente, pela parte que chama a atenção de toda a gente, que é o ataque. Mas o jogo de andebol é muito mais do que isso e há muito mais situações em que nós podemos não estar atentos, não chega só às vezes marcar oito golos ou dez golos”, analisou Ricardo Costa.

Martim, lateral da Seleção e do Sporting. Foto: FAP

As afirmações do treinador do Sporting são fruto também da experiência do Ricardo enquanto ex-jogador. O antigo ponta-direita é ainda o quinto com mais internacionalizações por Portugal (147) e 399 golos – e fez ainda parte da Seleção que conquistou o 7.º lugar no Euro 2000. Sempre apontado como um líder nas equipas por onde passou, acredita que os filhos ainda precisam ganhar experiência para crescer coletiva e individualmente.

“Há outras situações que às vezes podemos apontar à nossa equipa, sermos líderes dentro da equipa, sermos ouvidos perante os outros. E esse crescimento deles, seria mais de quase 50% daquilo que eles têm vindo a fazer. Óbvio que dentro da equipa estamos todos contentes com aquilo que eles nos têm ajudado, mas nunca se podem esquecer que são parte de uma equipa. São parte de um conjunto que todos somos importantes dentro do processo. Que se eles têm algum sucesso também deve a todos aqueles que os estão a ajudar a crescer”, afirmou.

Ainda na ocasião do 19.º Congresso Técnico Científico de Andebol, o treinador da equipa sénior masculina do Sporting falou também que um fundamento essencial para o desenvolvimento do atleta e a formação de um um jogador de alto de rendimento está ligado à parte mental. Acerca do tema, o profissional EHF Master Coach exemplificou com um episódio que aconteceu há alguns anos com o Martim.

Francisco Costa está a disputar o Europeu Sub-20. Foto: FAP

Ricardo Costa conhece como ninguém os filhos-atletas. Treino-os no FC Gaia e no Colégio dos Carvalhos, o clube em Vila Nova de Gaia que assistiu os irmãos darem os primeiros passos no andebol federado. Durante a pandemia, revelou durante o Congresso, treinou com a dupla praticamente todos os dias no ginásio do Colégio dos Carvalhos. Sempre pela evolução técnica e física. E pela consciência de que ainda há um longo caminho pela frente.

“Nada está dado por adquirido. Há uma luta constante e um crescimento constante. Há momentos que sabemos que não vamos estar tão bem e é importante ter os pés assentes na terra. É importante para nós mantermos a nossa humildade. O significado de que a vida muitas vezes é uma montanha russa, às vezes existem lesões, momentos difíceis, não é sempre a subir. Eu acho que é um processo e eles estão dentro do processo”, concluiu o pai, acima de tudo orgulhoso pelos filhos que tem.

Recorde-se que, antes de atuar pelo Sporting, os portuenses Martim e Francisco jogavam no FC Porto. Os leões pagaram as suas cláusulas de rescisão – 150 mil euros pelo mais velho e 100 mil pelo mais jovem. Os dois, neste momento, seguem em preparação no Euro-2020 Sub-20.

Portugal terminou a fase preliminar com 100% de aproveitamento, o que levou ao primeiro lugar do grupo A. A comitiva lusa enfrenta, esta terça-feira, a Dinamarca, no Pavilhão Desportivo Municipal de Vila Nova de Gaia, pelas 19h30 e, de seguida, a Hungria, esta quarta-feira, no mesmo local e horário.

Francisco e Martim são filhos de Ricardo Costa e Cândida Mota, dois antigos atletas internacionais. Foto: D.R.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos que poderá gostar

Andebol

A Federação Europeia de Andebol (EHF) criou um manual de andebol como ferramenta de ajuda a todas as federações nacionais e clubes. No sábado,...

Andebol

O play-off da EHF European League joga-se no próximo dia 27 de setembro. Um dos jogos que marca o calendário é o encontro entre...

Andebol

A segunda eliminatória da EHF European League começa no próximo dia 27 de setembro. Entre tantos encontros, um deles põe frente a frente duas...

Andebol

A final four da Supertaça 2022/23 foi disputada este fim de semana, em Serpa, no Pavilhão dos Desportos Carlos Pinhão. Nas meias-finais da competição,...

©2022 - SportMagazine - Revista de Treino Desportivo.
Todos os direitos reservados. Quântica Editora - conteúdos especializados, Lda. Praça da Corujeira, 30 4300-144 Porto, Portugal.
Website desenvolvido por Renato Sousa.