20 de Março 2023 15:01
Segue-nos

O que procura?

SportMagazineSportMagazine
0

Natação

Maria Carlos Santos, a última a nadar Costas em Jogos Olímpicos há 27 anos: “Fico sempre otimista quando os recordes caem…”

Maria Carlos Santos ao lado do treinador António Vascondelos Raposo, em Atlanta 1996. Foto: Arquivo Pessoal

Considerada por muitos anos como a melhor e mais completa nadadora nacional, Maria Carlos Santos atualmente acompanha de longe a natação. Fora do meio desportivo, a antiga olímpica observa como uma espécie de “adepta de luxo” os novos passos da modalidade, especialmente na vertente feminina. Dona de recordes nacionais que foram ficando pelo caminho ao longo dos anos, a ex-atleta comemora de longe cada nova marca superada. Uma delas poderá ir, enfim, abaixo este ano: a de última portuguesa a nadar a disciplina Costas nos Jogos Olímpicos.

Isso aconteceu nos longínquos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996. Na ocasião, Maria Carlos Santos terminou a prova dos 100m Costas no 22.º lugar com 1.04,84. Foi a melhor participação de sempre de Portugal na prova, antes disputada somente por Ana Barros, em Barcelona 1992 – na ocasião 36.ª classificada com 1.06,11.

Desde há 27 anos, Portugal nunca esteve tão próximo de regressar aos Jogos para a mesma disciplina. Camila Rebelo, nadadora do Louzan Natação, está a 2 centésimos dos mínimos A para os Jogos Olímpicos de Paris 2024 na sua melhor prova, os 200m Costas. A melhor marca de sempre de Camila foi fixada nos Jogos do Mediterrâneo (2,10.41) – na ocasião, em junho do ano passado. Para Paris, a marca está estabelecida em 2.10,39.

Camila Rebelo, nadadora portuguesa atual recordista dos 100 e 200m Costas. Foto: FPN

Camila Rebelo também está perto de alcançar os mínimos necessários nos 100m Costas. No Europeu passado, alcançou a sua melhor marca – terminou em 1.00,66, ficando a 28 centésimos de um lugar na final (foi a 9.ª geral). Para ir a Paris 2024 nesta prova precisa baixar o tempo para 59,99 (mínimos A) – ou seja, superar o seu melhor em 67 centésimos, um progresso que a levar em consideração a progressão do último ano, não parece distante.

“No que respeita às ‘costistas’ fiquei extremamente feliz quando, em 2010, a Marta Marinho bateu os meus recordes nacionais dos 50 e 100m, que já duravam desde 2000 e 1998, respetivamente. Fico sempre otimista quando os recordes caem porque são fruto do empenho e do desportivismo entre atletas. Depois da Marta houve ainda mais atletas que têm vindo a fazer um percurso muito interessante: a Rita Frischknecht, a Rafaela Azevedo e mais recentemente a Camila Rebelo”, afirmou Maria Carlos Santos, em declaração à SportMagazine.

“Às atuais nadadoras, independentemente do estilo e da distância, de natação pura, águas abertas, natação artística ou polo aquático, só posso desejar as maiores felicidades e que disfrutem de cada prova”, complementou.

A antiga nadadora foi recordista absoluta dos 50, 100 e 200 metros Costas, em piscina de 25 e 50 metros, e dos 100 metros estilos, 200 metros estilos em ambas as piscinas, e 400m estilos em piscina olímpica. Treinada por muitos anos por António Vasconcelos Raposo, ela encerrou a carreira em novembro de 2003, durante os Campeonatos Nacionais de Natação, em Lisboa. “Despediu-se das piscinas ao som das palmas de mais de mil espectadores”, conforme atesta reportagem do jornal Record na altura.

Aos 44 anos, Maria Carlos Santos vive atualmente em Pinhal Novo, onde trabalha como técnica superior na Câmara Municipal de Loures. “Ligação profissional com natação? Não. Apenas praticante duas vezes por semana”, responde a antiga atleta que garante, sempre que possível, segue os passos da nova geração.

“As nossas atuais nadadoras são fantásticas e têm-nos proporcionado imensas alegrias. Sempre que me é possível tento acompanhar as principais provas nacionais e internacionais e confesso que tenho delirado com os resultados da natação portuguesa no geral. De vez em quando, procuro espreitar a evolução dos tempos de nado nos vários estilos e nas diferentes idades. Apesar do elogio do ecletismo, que sempre agradeci, ele é fruto de muito treino, dedicação e do envolvimento de uma equipa multidisciplinar (pais, treinadores, professores de natação, médicos, fisioterapeutas, psicólogos, entre outros), que atualmente já se começa a reconhecer a par com o sucesso do atleta”, detalha.

Além dos 100 Costas, Maria Carlos Santos nadou em Atlanta 1996 os 4x100m Estilos, prova em que terminou com o honroso 21.º lugar.

Maria Carlos Santos, antiga nadadora portuguesa. Foto: Arquivo Pessoal

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos que poderá gostar

©2022 - SportMagazine - Revista de Treino Desportivo.
Todos os direitos reservados. Quântica Editora - conteúdos especializados, Lda. Praça da Corujeira, 30 4300-144 Porto, Portugal.
Website desenvolvido por Renato Sousa.