20 de Junho 2024 13:32
Segue-nos

O que procura?

SportMagazineSportMagazine
0

Cursos e Congressos

“Integridade do desporto – novos riscos e novas exigências” em debate no Ética Summit

Foto: Ética Summit 2022/Reprodução

O segundo e penúltimo dia do Ética Summit 2022 contou com uma diversificada e aprofundada gama de conferências e workshops compostos por debates aprofundados, essencialmente na perspetiva dos valores éticos. Após as discussões aprofundadas sobre as temáticas “Da ética no desporto à ética do desporto” e “Desafios atuais: a genética no desporto”, o evento, exclusivamente virtual, seguiu-se com dois Workshops: A – “O desporto e o desenvolvimento de valores, desde as idades jovens”, e B – “Ética do desporto nas leis e regulamentos”. A terceira parte do dia foi composta pela conferência “Integridade do desporto – novos riscos e novas exigências” e a mesa redonda “Desporto profissional/amador – especificidades em matéria de integridade”.

A conferência relativa à “integridade do desporto” foi moderada por Fábio Figueiras (presidente da Comissão Executiva do Ética Summit 2022), e contou com dois preletores: João Paulo Almeida (diretor geral do Comité Olímpico de Portugal – COP) e Luciano Hostins (diretor jurídico do Comité Olímpico Brasileiro), sendo o primeiro a ter a palavra. O gestor luso começou por levar ao público – composto por diversos países da comunidade lusófona – um vídeo em que um tenista argentino concedeu um depoimento em que falava da experiência de ter participado de um esquema de combinação de resultados. O atleta em questão, Nicolás Kicker, falou em tom reflexivo do arrependimento e dos valores do desporto.

A seguir, João Paulo Almeida ofereceu um questionamento aos participantes sobre intersecções éticas da atitude exemplificada, com situações que envolviam o mercado de apostas, corrupção e um conjunto de fatores fora do desporto e que a jurisdição desportiva não têm domínio “para assim ganharem em cima de um conjunto de fragilidades”, observou a apresentar um quadro global de manipulação de resultados e apresentando mais um vídeo, este do Comité Olímpico Internacional, sobre o tema da manipulação de resultados e dos esquemas financeiros envolvidos.

João Paulo Almeida apresenta um quadro global de manipulação de resultados. Foto: Ética Summit 2022/Reprodução

“Podemos observar uma maior tecnologia associada à criminalidade no desporto”, ressalta o diretor do COP. “Importa perceber porque motivo se colocam tantas ameaças a essa realidade e ao jovem desportivas de Portugal, de África, do Brasil”, acrescentou Almeida, sempre a levar exemplos práticos em diversos desportos – especialmente no futebol – para reflexões em conjunto. “É de todo perceber que o desporto tem vulnerabilidades que são atrativas a criminosos”, pontuou mais uma vez.

Em seguida foi a vez do preletor brasileiro Luciano Hostins, que começou justamente a falar sobre a nova gestão olímpica do Brasil – após casos de corrupção envolvendo o antigo presidente do Comité Olímpico Brasileiro (COB) Carlos Arthur Nuzman – e destacando os esforços da organização, atualmente presidido pelo ex-judoca e treinador da modalidade Paulo Wanderley, para superar os ruídos causados na imagem da instituição. “Já em Tóquio 2020, o Brasil superou o número de medalhas conquistadas no Rio 2016 (foram 21 medalhas, um recorde nacional, sendo duas a mais do que o ciclo anterior)”, observou Hostins.

A relação institucional entre COB e Tribunal de Contas da União foi também abordada. “Precisamos mostrar que estávamos aplicando bem os recursos das loterias, ou seja, levando aos atletas, ao alto rendimento, e a finalidade que se propunham os recursos”, disse, destacando uma série de medidas tomadas pela organização para maior transparência na aplicação dos recursos, como a criação de um conselho de administração ética, assim como a presença de 12 atletas (presentes em pelo menos um dos dois últimos Jogos Olímpicos) com representatividade no novo estatuto.

Foto: Ética Summit 2022/Reprodução

Após uma pausa de 15 minutos, o evento ganhou uma continuidade com a mesa redonda “Desporto profissional/amador – especificidades em matéria de integridade”. Além dos já presentes na sessão anterior – sempre acompanhada por um público superior a 120 pessoas simultâneas -, João Paulo Almeida, Luciano Hostins e Fábio Figueiras, juntaram-se o novo moderador Paulo Schimitt (presidente do Comité de Defesa do Jogo Limpo do COB e do Comité de Integridade da Federação Paulista de Futebol) e Karina Carvalho (diretora executiva/Transparência Internacional Portugal).

“Temos números avassaladores no Brasil, preocupantes, que dão conta de cerca de 90 partidas manipuladas em 2021 e este número já foi ultrapassado em agosto deste ano”, alertou Paulo Schimitt, antigo procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva no Brasil.

“Há um desafio enorme quando se fala em desporto profissional. (…) Há uma grande desafio para investimento na integridade e as autoridades públicas não dão importância para esse problema”, lamentou, a sugerir a criação de uma plataforma internacional contra um combate às fraldes no desporto. “Quando se fala em manipulação de competições é uma desproporção gigantesca relativamente ao que os criminosos aplicam de investimento e os recursos que temos para proteger essa integridade”, disse Paulo Schimitt.

“Os recursos estão voltados para a prática desportiva, para as competições, e o que acontece é que faltam agentes especializados nas federações e nos clubes desportivos para esse tema. Precisamos capacitarmos essas instituições”, alertou Karina Carvalho.

“Criar desde pequenos uma consciência nas crianças de que não é possível vencer a qualquer custo. Que nosso adversário não é o nosso inimigo. Com uma uma boa base ética na formação, creio que diminuiriam esses casos de manipulação e racismo, xenofobia, dentre outros”, acrescentou, através do chat do evento, o participante  Silvino M. Cunha Jr, a acompanhar um debate que se aprofundou imensamente na matéria “integridade no desporto”.

O evento, exclusivamente virtual, é organizado pelo Panathlon Clube de Lisboa para a comunidade de língua portuguesa e tem a SportMagazine como media partner. O Ética Summit 2022 tem uma programação extensa ainda no domingo – esta pode aqui ser conferida.

Foto: Ética Summit 2022/Reprodução

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Edição Atual

Artigos que poderá gostar

Cursos e Congressos

Estão abertas as inscrições para a edição deste ano do Ética Summit, o maior evento sobre ética e integridade no desporto. Este é um...

Atualidade

A tarde de sábado do Ética Summit 2023 foi dedicada ao tema da Dopagem e Antidopagem. Este bloco temático desenvolveu-se, como o anterior, com...

Atualidade

As sessões desta manhã do Ética Summit 2023 foram dedicadas ao bloco temático sobre Desporto Juvenil, começando pela conferência sobre «Fraude na Idade», que...

Atualidade

Durante este fim de semana decorre o Ética Summit 2023, evento online que tem este ano a segunda edição, promovendo o debate e a...

©2022 - SportMagazine - Revista de Treino Desportivo.
Todos os direitos reservados. Quântica Editora - conteúdos especializados, Lda. Praça da Corujeira, 30 4300-144 Porto, Portugal.
Website desenvolvido por Renato Sousa.