16 de Maio 2022 13:21
Segue-nos

O que procura?

SportMagazineSportMagazine

Andebol

Fábio Magalhães e a decisão com os Países Baixos: “É preciso usar a experiência…”Exclusivo 

Fábio Magalhães, lateral da Seleção Nacional. Foto: FAP

Um dos jogadores mais experientes da Seleção Nacional, Fábio Magalhães espera escrever uma história diferente diante dos Países Baixos esta quinta-feira, às 19h00, na Portimão Arena, no Algarve, no primeiro de dois válidos pelo play-off final que decide uma vaga no Campeonato do Mundo de 2023. A segunda mão acontece no domingo, em Eindhoven.

Fábio Magalhães, lateral do FC Porto, esteve presente na apertada derrota apertada no encontro com os neerlandeses no Europeu (32-31), no passado mês de janeiro. Para ele, Portugal precisará regressar aquele jogo, observar os erros cometidos e trabalhar não voltar a repeti-los.

A receita do sucesso, de acordo com atleta de 34 anos, passa também por manter a serenidade, o foco nos objetivos e pelo apoio dos adeptos em Portimão. A SportMagazine conversou com Fábio Magalhães sobre o primeiro dos dois jogos decisivos com os Países Baixos.

Fábio Magalhães. Foto: FAP

SportMagazine (SM) – A questão psicológica seguramente conta muito num momento de decisão como este, diante de um adversário forte e sob a pressão de buscar um bom resultado. Como alguém experiente como o Fábio pode ajudar nesta hora, especialmente em relação aos mais novos?

Fábio Magalhães (FB) – É preciso manter a cabeça calma porque são momentos de algum estresse, claramente. É preciso ter e usar a experiência, mas também acho que essa juventude nos pode ajudar muito com essa irreverência porque se calhar não pensam tanto nessa parte de estresse e vão para o jogo mais tranquilo às vezes. Se calhar, às vezes nós, mais experientes, pensamos mais nas coisas e isso também pode prejudicar um bocadinho. Mas, sim, é nosso papel manter toda a gente ciente dos objetivos e do que queremos atingir.

SM – Portugal fez um jogo bastante equilibrado com as Países Baixos no Euro, no fim de janeiro. Naquela ocasião, a equipa havia sofrido com a Covid-19 e não conseguiu ter uma sequência de treinos com o grupo completo. Qual a diferença faz chegar para esta decisão com o trabalho completo com o Paulo Pereira?

FM – Claro que é importante conseguir ter e trabalhar com toda a gente, apesar de continuar a termos algumas lesões e ausências. Mas não nos podemos agarrar a essa questão da Covid-19 e ao que aconteceu no Europeu. Temos que ver os erros que cometemos e corrigi-los.

A comparação que temos é o jogo do Europeu, então temos que estudá-lo para não voltarmos a cometer os mesmos erros. Essa questão de não termos nos preparado para o jogo… Somos jogadores experientes e tínhamos a obrigação de ter feito melhor à altura e é isso que queremos fazer agora. Não compensarmos, porque o Europeu passou, mas agora queremos estar no Mundial e para isso temos que dar o melhor. Mas claro que é importante trabalhar os dias todos com toda a gente.

SM – Ainda sobre os Países Baixos, Portugal sofreu uma derrota por muito pouco. Pode-se esperar novamente um jogo muito equilibrado?

FM – Os Países Baixos têm muito boa equipa, muito rápidos, com muito querer, muita vontade. É mesmo uma característica deles, sempre com uma intensidade muito alta. E nós vamos ter que nos preparar para nos recuperar bem nas transições defensivas que é uma das grandes armas deles é o contra-ataque, onde marcam muitos golos dessa maneira com jogadores muito rápidos.

SM – A Seleção Nacional vai jogar em casa, diante dos adeptos em Portimão. Acha que o ambiente pode influenciar positivamente num momento como este?

FM – Sim, claro. Esperamos que o pavilhão esteja bem composto, completo, porque é sem dúvida um fator motivacional extra termos todos os adeptos a torcer por nós e a ajudarem-nos. É um fator positivo para nós e às vezes desmotivador para a equipa adversária.

SM – Portugal vem numa crescente muito grande no andebol nos últimos anos. O que representa para o desenvolvimento da modalidade estar em mais um Mundial?

FM – Para mim, enquanto jogador de andebol, e para nós que aqui estamos todos os dias a lutar por isso, é muito importante conseguirmos afirmar que realmente estamos mesmo numa crescente. Ainda no fundo estamos há três quatro anos a aparecer nas grandes competições e seria muito importante continuar nessa cena e a estar nas grandes competições para ajudar a modalidade, até para as crianças que começam a ver algum desporto possam se interessar pelo andebol para no futuro o andebol continuar nessas grandes competições.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos que poderás gostar

Atletismo

Portugal encerrou este domingo a sua participação nos Jogos Surdolímpicos, que decorreram em Caxias do Sul, no Brasil, entre os dias 1 e 15...

Andebol

A APD Porto conquistou, este sábado, a Taça de Portugal em andebol de Cadeira de Rodas, na categoria ACR6. A equipa da cidade invicta,...

Ciclismo

Portugal contou, este domingo, com as participações de Telmo Pinão – C2 – e de Bernardo Vieira – C1 -, em corridas de 44,4...

Futsal

Dois títulos europeus (2018 e 2022) e um mundial (2021) alcançados com uma diferença temporal tão curta elevariam qualquer equipa ou seleção a um...

@2021 - SportMagazine - Revista de Treino Desportivo.
Todos os direitos reservados. Quântica Editora - conteúdos especializados, Lda. Praça da Corujeira, 30 4300-144 Porto, Portugal.
Website desenvolvido por Renato Sousa.