23 de Maio 2024 12:19
Segue-nos

O que procura?

SportMagazineSportMagazine
0

Cursos e Congressos

Congresso Nacional debate “retoma e recuperação” do desporto em Portugal

Carlos Paula Cardoso, presidente da CDP. Fotos: João Tinoco/SM

Os presidentes da Confederação do Desporto de Portugal (CDP), Carlos Paula Cardoso, e do Comité Olímpico de Portugal (COP), José Manuel Constantino, além do campeão paralímpico Carlos Lopes, representante da Confederação Paralímpica de Portugal (CPP), uniram forças esta sexta-feira, durante o Congresso Nacional do Desporto, para enfatizar a preocupação com a queda no investimento às Federações desportivas em 2020.

Durante o evento promovido pela CDP, a decorrer até o sábado no Fórum Lisboa, as três autoridades desportivas destacaram as preocupações com o movimento associativo relativamente ao impacto que a pandemia teve para a área do desporto, nomeadamente o federado.

“Os clubes de pequenas dimensões estão a ser obrigados a fechar as portas com todo o prejuízo que estão a ter e isso leva ao prejuízo do desporto de Portugal”, lamentou Carlos Paula Cardoso, que abriu o painel “Retoma e recuperação” esta tarde. “A Confederação do Desporto de Portugal espera que a nova equipa governativa olhe para o setor do desporto como um aliado e reconheça neste a relevância que o mesmo merece”, acrescentou.

O presidente da CDP recordou os números divulgados este mês pelo  Instituto Nacional de Estatística (INE). De acordo com o órgão, em 2020 o financiamento do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) às Federações desportivas atingiu 40,8 milhões de euros, o que representa uma quebra de 11,1% face aos 45,9 milhões de euros de 2019. No mesmo período, também o apoio das autarquias foi reduzido, de 320 milhões de euros para 301 milhões de euros.

José Manuel Constantino: Ninguém está à espera de que o novo governo tenha uma espécie de varinha mágica, mas tem que dar sinal de esperança”

A complementar o discurso de Carlos Paula Cardoso, José Manuel Constantino, que falou de seguida, fez um paralelo entre o desenvolvimento da economia e do desporto de um país.

“Está para descobrir como é possível desenvolver economicamente um país sem uma economia que tenha mão de obra disponível, boa formação e qualificação nos recursos humanos, que tenha bons salários e que tenha empresas que estão capitalizadas. Ou seja, se as empresas não estiverem capitalizadas, se não houver bons incentivos materiais, mão de obra disponível e qualificada, torna-se impossível desenvolver uma economia que seja competitiva no quadro global. O que se aplica à economia se aplica ao desporto. Sem atletas, sem quadros qualificados, sem incentivos materiais e com as organizações descapitalizadas, dificilmente se encontra solução para garantir a competitividade do desporto nacional”, afirmou.

As declarações refletem outra estatística do INE, que foi relativa ao número de clubes desportivos: em 2020 existiam 11.066 clubes contra 11.429 em 2019 (menos 3,2% do que no ano anterior) e 587.812 praticantes (-14,7% em relação a 2017) inscritos nas Federações desportivas, enquanto em 2019 foram contabilizados 688 894 praticantes federados. Com a queda, o presidente do COP cobrou uma postura diferente do governo.

“Ninguém está à espera de que o novo governo tenha uma espécie de varinha mágica, mas tem que dar sinal de esperança. Tem que dar sinal de que os tempos que vamos viver vai mudar. A partir do período e da circunstância internacional com custos acrescidos, designadamente em matérias de deslocações internacionais, a generalidade das organizações desportivas vão sofrer. O sentimento das minhas palavra vêm para compartilhar convosco a minha preocupação”, pontuou José Manuel Constantino.

Por fim, Carlos Lopes destacou que “o quadro social, económico e os efeitos da pandemia são partilhados pelo movimento paralímpico, em alguns casos até acentuados”.

A discussão foi assistida por uma plateia de aproximadamente 100 pessoas, entre atletas, treinadores e movimento associativo que pôde discutir juntos estratégias e projetos que impulsionem o futuro do desporto em Portugal. O Congresso Nacional do Desporto foi o primeiro organizado pela Confederação do Desporto de Portugal.

Estatísticas do INE motivaram a discussão entre autoridades desportivas

 

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Edição Atual

Artigos que poderá gostar

Desporto Olímpico

A ex-nadadora Diana Gomes, atual presidente da Comissão de Atletas Olímpicos, atleta olímpica e adida olímpica da Missão de Portugal aos Jogos Olímpicos Paris-2024,...

Sociedade Desportiva

O nadador Diogo Ribeiro e a ciclista Maria Martins foram eleitos os melhores atletas do ano, nas respectivas categorias, na 27.ª gala da Confederação...

Desporto Olímpico

Fernando Pimenta, medalha de bronze em K1 1.000 metros em Tóquio-2020 e prata em K2 1.000 em Londres-2012, João Ribeiro e Messias Baptista, atuais...

Desporto Olímpico

O Comité Olímpico de Portugal (COP) recebeu, esta semana, a terceira reunião dos Young Olympic Board Europe (YOBE) – Network Meeting, um projeto criado...

©2022 - SportMagazine - Revista de Treino Desportivo.
Todos os direitos reservados. Quântica Editora - conteúdos especializados, Lda. Praça da Corujeira, 30 4300-144 Porto, Portugal.
Website desenvolvido por Renato Sousa.