5 de Fevereiro 2023 04:56
Segue-nos

O que procura?

SportMagazineSportMagazine

Natação

A centésimos dos mínimos para Paris 2024, Camila Rebelo evita expectativas: “Se meter essa pressão toda assim pode correr mal…”

Camila Rebelo, nadadora portuguesa recordista dos 100m e 200m costas. Foto: FPN

Foram dois recordes nacionais estabelecidos (100m e 200m costas), duas medalhas de ouro dos Jogos do Mediterrâneo, além de uma final na sua estreia em Campeonatos da Europa – a igualar o melhor resultado de sempre da natação feminina na competição (Catarina Monteiro, em Glasgow 2018, nos 200m mariposa; e Tamila Holub, também em Roma 2022, nos 1.500m livres). Camila Rebelo viveu em 2022 o melhor momento da carreira – segundo ela própria já fez questão de ressaltar. Aos 19 anos, a nadadora do Louzan Natação, já consolidada em 2023 como uma das joias da natação nacional, agora tem o foco voltado para obtenção dos mínimos para os Jogos Olímpicos de Paris 2024. Marca que está muito próxima de ser alcançada.

Camila Rebelo está a 2 centésimos dos mínimos A para os Jogos Olímpicos de Paris 2024 na sua melhor prova, os 200m costas. A melhor marca de sempre de Camila foi fixada  nos Jogos do Mediterrâneo (2,10.41) – na ocasião, em junho do ano passado. Para Paris, a marca está estabelecida em 2.10,39.

“Não estou a pensar, ‘ah, quero fazer o mínimo’. Se meter essa pressão toda assim pode correr mal. Portanto, acho que é tentar melhorar os tempos que tenho. Se eu conseguir melhores tempos do que eu tenho, dá para chegar bastante perto ou fazer os mínimos. Acho que é um passo de cada vez”, afirmou a nadadora em entrevista à SportMagazine.

Camila também está perto de alcançar os mínimos necessários nos 100m costas. No Europeu passado alcançou a sua melhor marca – terminou em 1.00,66, ficando a 28 centésimos de um lugar na final (foi a 9.ª geral). Para ir a Paris 2024 nesta prova precisa baixar o tempo para 59,99 (mínimos A) – ou seja, superar o seu melhor em 67 centésimos, um progresso que a levar em consideração a progressão do último ano, não parece distante.

“Sentimos que ela ainda tem muita margem de evolução, se continuar focada e empenhada pode continuar a melhorar. Achamos que Paris é quase uma realidade, mas não podemos dar como garantido”, afirmou Vítor Ferreira, treinador de Camila, em entrevista recente à SportMagazine.

“Quando eu comecei a época passada, o maior objetivo era fazer o mínimo para o Europeu. Já era o meu segundo ano de sénior e queria mesmo ir ao primeiro campeonato absoluto. Depois, fiz o mínimo em duas provas. Só estava a contar fazer uma, fiz em dias. E depois aproximar tão perto do mínimo para os Jogos e depois chegar ao Europeu e fazer uma final no meu primeiro Europeu, acho que passou completamente as minhas expectativas. Por isso, senti-me realizada”, avaliou a atleta, em relação a 2022.

Camila Rebelo, nadadora portuguesa. Foto: FPN

Para além de conquistar os mínimos para os Jogos Olímpicos – marcas que quer já conquistar nos nacionais a partir de março] , Camila Rebelo também está determinada a seguir em evolução, com boas prestações ao longo do ano. Uma das competições que estuda participar com força será o Campeonato da Europa sub-23, criado para esta temporada.

“O mínimo é o principal [para 2023]. Já devíamos despachá-lo, fazer o mínimo agora em março [nos Campeonatos Nacionais] seria o ideal. E depois posso ver o que é que falta, o que não falta e ter mais tempo de preparação. Além de fazer o mínimo, ainda não sei quais são as provas internacionais que vou fazer”, começou por dizer.

“No final de julho e agosto há muitas provas, Mundiais, Universíades, há o Europeu sub-23, ainda não sei bem quais são as provas exatas que vou fazer. Mas será o pico para esses campeonatos. Se eu for ao Europeu sub-23 vou tentar uma final, se puder ser um pódio também era engraçado. Se for aos Mundiais, quero tentar fazer o melhor, absolver a experiência, também vai ser o primeiro Mundial absoluto e é mais por aí”, detalhou a nadadora.

Camila Rebelo segue até o dia 3 de fevereiro no estágio de altitude, em Font Romeo. Ela está acompanhada, entre outros, pelos treinadores Vítor Ferreira e Gonçalo Neves, e pelos seguintes nadadores: Ana Catarina Monteiro (CFV); Diana Durães (SLB); Mariana Cunha (CNCE); Tamila Holub (SCB); Gabriel Lopes (ALN). Dois nadadores compõem a equipa de natação adaptada: Diogo Cancela (ALN) e Tomás Cordeiro (CNCE).

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos que poderá gostar

Natação

Diogo Ribeiro, uma das grandes promessas da natação portuguesa, esteve presente na 26ª Gala do Desporto, realizada esta quarta-feira, no Casino Estoril, em Lisboa....

Natação

A primeira competição da natação portuguesa em solo nacional em 2023 irá reunir alguns dos principais nadadores do país. A 13.ª edição do Meeting...

Natação

Terceira representante de Portugal a ir aos Jogos Olímpicos a competir na natação em águas abertas, Vânia Neves é uma das mais vitoriosas nadadoras...

Natação

Terminou no último dia 14 de janeiro um período de aproximadamente 15 dias de treinos da dupla de elite da natação portuguesa Diogo Ribeiro...

©2022 - SportMagazine - Revista de Treino Desportivo.
Todos os direitos reservados. Quântica Editora - conteúdos especializados, Lda. Praça da Corujeira, 30 4300-144 Porto, Portugal.
Website desenvolvido por Renato Sousa.